Operação investiga paraense sem renda que teve movimentação bancária milionária

-

A jovem chegou até a receber o auxilio emergencial.

A Polícia Civil do Pará investiga a movimentação bancária de R$ 5,5 milhões, entre janeiro de 2018 e janeiro de 2020, por uma estudante de 27 anos, que não tem renda declarada. Apesar dos valores, pai e filha receberam R$ 1,2 mil do auxílio emergencial, programa federal destinado a pessoas de baixa renda impactadas pela covid-19.

A operação “Ariana”, como foi chamada, cumpriu cinco mandados de busca e apreensão, sendo três em residência e dois em sedes de empresas, em Belém, na manhã desta quarta-feira (26).

Todas as diligências realizadas foram conduzidas pela Divisão de Repressão à Lavagem de Dinheiro (DRLD), que faz parte da Diretoria Estadual de Combate à Corrupção (Decor). A DRLD apurou que o dinheiro chegou à conta da estudante de duas formas: por meio da modalidade crédito, que totalizou R$ 2.999.940,00 e operações em débito, que somaram R$ 2.544.649,00. 

As buscas começaram por volta de 6h e aconteceram nas residências dos investigados, bem como em empresas possivelmente ligadas aos suspeitos. Foram apreendidos aparelhos celulares, documentos e dispositivos de armazenamento. Todo o material será periciado e passa a compor o inquérito policial instaurado pela Polícia Civil. 

O levantamento feito pela Divisão de Repressão à lavagem de Dinheiro aponta que os valores são elevados para quem não apresenta qualquer fonte de renda que justifique tais valores, bem como a movimentação feita por meio de instituições bancárias.

O relatório feito pela Divisão aponta, ainda, que a estudante não possuía empresa aberta em seu nome e não teve qualquer atividade empresarial no período analisado. Constatou-se também que o pai da investigada possuía procuração da mesma para realizar transações, mas o mesmo também não apresentou qualquer atividade remunerada de forma legal. 

Para o Delegado-Geral da Polícia Civil, Walter Resende, essa é mais uma ação da PC-PA que busca garantir a segurança’ dos paraenses em todas as vertentes. 

“A nossa Divisão Especializada neste tipo de crime recebeu está denúncia e diligenciou com perícia nas investigações e, hoje, concluímos essa etapa importante com êxito. Por aqui, nós combatemos todos os tipos de crime, do pequeno ao grande. Nosso papel é combater de forma contundente a criminalidade em todas as suas modalidades”, disse Resende.

Fonte: O Liberal

Parceiros
spot_imgspot_imgspot_img

Deixe uma resposta

spot_imgspot_img
Parceiros

Must Read

Ex-deputado Daniel Silveira é preso pela PF um dia após ficar...

0
Prisão ocorreu na manhã desta quinta-feira, em Petrópolis, no Rio de Janeiro, por determinação do STF Apenas um dia após ficar sem mandato, o ex-deputado federal...