Corpo de cinegrafista paraense é localizado no Complexo do Ver-o-Rio, em Belém

Foto: Divulgação Redes Sociais.

Um pescador encontrou o corpo por volta de 8h. Ele estava desaparecido desde quinta-feira (16/06), após cair de uma embarcação próximo à região da Ilha do Combu.

O corpo do velejador e cinegrafista da TV Cultura, Ronaldo Luiz Rodrigues da Silva, foi encontrado por um pescador na manhã desta sexta-feira (17), no Complexo do Ver-o-Rio, em Belém. O Corpo de Bombeiros Militar (CBM) retomou as buscas por volta de 7h da manhã próximo a Ilha do Combu, onde a vítima teria desaparecido.

Ronaldo foi localizado por volta 8h. As equipes da CBM foram acionadas, por meio do Centro Integrado de Operações (CIOP), que o corpo foi encontrado. Familiares de Ronaldo estiveram no local bastante comovidos com a perda.

“Retomamos as buscas no local onde ele teria desaparecido por volta de 7h da manhã e fomos acionados pelo CIOP de que um pescador teria encontrado o corpo da vítima. Um rapaz da imprensa confirmou que era o Ronaldo”, disse o terceiro-sargento Ricardo de Souza do 1º Grupamento Marítimo e Fluvial (GMAF).

O caso aconteceu por volta de 1h da manhã de quinta-feira (16). Ronaldo estava folga e velejando nas proximidades do Combu e, ao tentar ajudar outra embarcação, foi levado pela correnteza da Baia do Guajará e não foi mais visto.

A jornalista e diretora da TV Cultura do Pará, Vanessa Vasconcelos, destacou as qualidades que Ronald tinha. “Além do excelente profissional, amigo, parceiro e solidário. Ronaldo era um excepcional velejador. O que fica de recado para todos nós é que a gente não deve se prevalecer da nossa segurança em qualquer momento. Ronaldo pulou na água para ajudar outra embarcação e foi levado pela maré. Muito triste”, lamentou a morte do colega.

Vanessa também comentou que o irmão mais velho de Ronaldo também morreu afogado. “Eram dois filhos. Anos atrás, o irmão deles também morreu afogado no mês de julho”.

A Polícia Científica do Pará (PCP) removeu o corpo do local por volta de 10h23 e o encaminhou até o Instituto Médico Legal (IML) para realização do laudo cadavérico.

Fonte: O Liberal.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui