Nocaute na Violência chega em sua 42ª edição neste sábado, 10, em Moju

Ao todo, serão três lutas na categoria infantil, cinco na categoria juvenil e 16 no adulto.

O projeto social Nocaute na Violência continua promovendo cidadania e incentivando os jovens a praticarem o boxe, considerada a ‘Nobre Arte’ do esporte. Deste vez, a 42ª edição do evento chega até a cidade de Moju, no nordeste paraense com 24 lutas no amador e profissional. O evento terá entrada gratuita e será realizado no ginásio Iverson Pereira dos Santos, a partir das 16 horas, deste sábado 10.

Ao todo, serão três lutas na categoria infantil, cinco na categoria juvenil e 16 no adulto. A última e mais aguardada, a nível profissional será entre o Paraense William Coutinho, representando a Associação Zezé do Boxe, e o carioca Silvio Marques. Para o coordenador do evento, o avanço do projeto pelo interior paraense tem sido bastante positivo para a formação de uma nova geração de atletas

“Nossa meta é levar o esporte para os interiores e trazer os jovens para o boxe. É importante que esses jovens se tornem bons cidadãos. Estamos tendo sucesso absoluto nesses eventos. A expectativa para esta edição é a melhor possível, num nível técnico elevado e uma ótima estrutura para as lutas”, comenta Zezé. Ao todo, são 25 academias inscritas dos municípios de Belém, Ananindeua, Marituba, Moju, Salinas, entre outros municípios. A pesagem das lutas será feita na manhã desta sexta-feira, no bairro da Cidade Velha, a partir das 9 horas da manhã.

WBC Cares

A novidade para esta edição é a possibilidade od Nocaute na Violência se tornar um evento afiliado ao WBC Cares, uma extensão do Conselho Mundial de Boxe, que trabalha com a divulgação de projetos sociais esportivos por todo mundo. A representante da entidade, Geyza Caryny, está em Belém e contou que o Nocaute poderá ser incluído no hall de eventos mundiais com o selo da WBC.

“Eu como embaixadora eu tenho  poderes de reconhecer alguns projetos sociais. A principio estou conversando com o Zezé para avalizar o Nocaute na Violência e inseri-lo no nosso grupo de eventos ao redor do mundo, que tem o selo da WBC Cares. É um início de uma divulgação para mostrar que estamos constituindo uma vida adequada para os cidadãos através do boxe”, reconhece. 

É bem provável que o Nocaute na Violência siga os passos de outros projetos existentes no Brasil. “Na Bahia temos o Boxe Solidário, onde arrecadamos 2,5 toneladas de alimentos. Esse projeto entrou para o WBC. Nossa intenção aqui é divulgar esse projeto não só no Brasil, mas para o mundo. A partir de agora vai ter o apoio para tanto”, encerra. 

Com Informações de O Liberal

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui