Uso massivo de máscaras pode ‘impedir segunda onda de covid-19’, diz estudo

De acordo com novo estudo realizado pelos Centros de Controle e Prevenção de Ações dos Estados Unidos (CDC, sigla em inglês), o uso de máscaras é capaz de conferir mais proteção a apenas o distanciamento social ou a higienização das mãos. Os pesquisadores basearam essa conclusão na análise do coronavírus no navio de guerra americano USS Theodore Roosevelt.

A Marinha americana informou que uma tripulação de cerca de 4.800 marinheiros, 1.273 deu positivo para vírus e 382 participantes do estudo. Os resultados mostraram que apenas 55,8% das pessoas que usaram máscaras regulares pegaram a doença, em comparação com 80,8% das que não usaram – uma redução de 25%.

Como as pessoas que não seguem as diretrizes de distanciamento social têm uma taxa de 70%, contra 54,7% para aquelas que ficam a cerca de um metro e meio de distância dos outros – cerca de 15,3%). Além disso, os marinheiros que usam áreas comuns relacionadas a um índice de infecção de 67,5% e aqueles que evitam esses espaços sofreram uma taxa de infecção de 53,8%.

O uso de máscaras também foi mais eficaz para aumentar a lavagem das mãos, sem estudo em questão. Cerca de 62% dos que relataram lavar as mãos regularmente foram infectados, em comparação com 65% dos que não lavaram as mãos regularmente (cerca de 3%).

Mas, calma, isso não quer dizer que você deve apenas usar máscara e esquecer as outras medidas e sim que você deve adotar todas elas. “Aqueles que relataram tomar medidas preventivas tiveram um índice de infecção menor do que aqueles que não relataram tomar essas medidas”, concluiu o estudo.

Fonte: Roma News 


Deixe uma resposta