Pará já tem sete casos suspeitos de doença da urina preta; dois são em Belém

Santarém segue com a maior quantidade de casos.

A Secretaria de Estado de Saúde Pública do Pará (Sespa) informa que, por meio do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (CIEVS), foi notificada e está investigando sete casos suspeitos da síndrome de Haff, sendo dois em Belém, um em Trairão e quatro em Santarém. Com isso, mais um caso entra no radar da capital.

“Os exames sanguíneos e de urina dos casos suspeitos foram encaminhados, por meio do Laboratório Central do Estado do Pará (Lacen), para laboratório de referência. A Sespa emitiu também nota de alerta com orientações para a identificação e a notificação de casos suspeitos. A Secretaria orienta os municípios a aumentar a atenção à inspeção sanitária dos locais de venda e sobre a importância do acondicionamento correto do pescado”, informa a Sespa, por nota.

Ainda segundo a Sespa, “…em caso de sintomas como dor muscular intensa na costa e membros inferiores, urina de cor escura associada à ingestão de pescado em até 24h, é necessário buscar atendimento imediatamente na rede pública de saúde do município. Ressaltamos que o monitoramento, bem como o acompanhamento dos pacientes é de responsabilidade da vigilância do município”.

Por nota, a Secretaria Municipal de Saúde (Sesma) informa que “…há um caso suspeito, ainda não confirmado, e mais dois em investigação, mas que não preencheram todos os critérios para a Sindrome de Haff. Uma das pessoas não relata nem ter comido peixe. Mesmo assim, a Sesma  coletou material e mandou para análise em laboratório”.

Texto: O Liberal

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui