Brumadinho: Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos processa Vale por suspeita de fraude em laudos de segurança

Foto: Corpo de Bombeiros

A tragédia matou 270 pessoas em 2019. De acordo com a ação, a mineradora mentiu ao alegar estabilidade nas operações em Brumadinho.

A Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC) está processando a Vale por suspeita de fraudar laudos de segurança da barragem de córrego do Feijão, em Brumadinho, que se rompeu em janeiro de 2019, causando a morte de 270 pessoas.

Ainda de acordo com a SEC, a tragédia causou perda de $4 bilhões na capitalização da mineradora, provocando prejuízo aos investidores internacionais.

Segundo a ação impetrada nesta quinta-feira (28), em 2016, a Vale manipulou as auditorias de segurança, obteve certificados fraudulentos e enganou o mercado sobre a segurança das operações em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. A SEC afirma que a mineradora já sabia dos problemas de estabilidade da barragem de Córrego do Feijão na época, mas garantiu que não havia risco.

“Muitos investidores confiaram nos relatórios anuais de sustentabilidade da Vale e em outros arquivos públicos para tomarem suas decisões”, disse a SEC.

Ainda de acordo com a entidade, a Vale provocou prejuízo aos investidores enquanto ganhava mais de R$ 1 bilhão na bolsa de valores de Nova York.

A empresa confirmou que está sendo processada pela SEC na Justiça americana.

“A Vale nega as alegações da SEC, incluindo a alegação de que suas divulgações violaram a lei dos Estados Unidos, e defenderá vigorosamente este caso. A Companhia reitera o compromisso que assumiu logo após o rompimento da barragem, e que a tem guiado desde então, para a remediação e a reparação dos danos causados pelo evento”, disse a mineradora em nota.

Com informações de G1.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui