Sargento da PM é alvo de atentado no Pará

-

Dupla em uma motocicleta disparou diversos tiros contra veículo do PM Gilson, atualmente lotado na 1ª Companhia Independente de Policiamento Ambiental (Cipamb).

Um policial militar foi alvo de um atentado na manhã desta terça-feira (8), por volta das 10h30, em Santarém, no oeste paraense. Uma dupla em uma motocicleta foi responsável por fazer diversos disparos contra o veículo do sargento Gildson dos Santos Soares, atualmente lotado na 1ª Companhia Independente de Policiamento Ambiental (Cipamb). Nenhum deles atingiu o PM. Diligências estavam sendo realizadas pelas autoridades policiais do município para prender os envolvidos no crime, que não haviam sido localizados até a publicação desta matéria.

A tentativa de homicídio ocorreu enquanto a vítima conduzia um veículo no trecho na Toca da Raposa, região localizada entre os bairros do Santarenzinho e Matinha. O sargento foi surpreendido por dois homens, que estavam em uma motocicleta preta e efetuaram vários disparos contra o carro do PM. O caso deverá ser investigado pela Polícia Civil. A motivação para o crime ainda é desconhecida. A reportagem entrou em contato com a Polícia Militar, mas não recebeu retorno.

O sargento Gildson responde a diversos processos na Justiça Estadual. Ele foi denunciado pelo Ministério Público do Estado do Pará (MPPA) pelos crimes de homicídio, homicídio qualificado, lesão leve e crimes de tráfico ilícito e uso indevido de drogas.

Em nota, a Polícia Militar informou que “…um policial militar que atua na 1ª Companhia Independente de Polícia Ambiental (1ª Cipamb), em Santarém, teve o seu veículo atingido por disparos de arma de fogo na manhã desta terça-feira (08), em Santarém.  O policial estava à caminho do trabalho, no momento da ação dos criminosos, e não fora atingido. Os criminosos fugiram em uma moto após os disparos. Houve apenas dano material. A  Corregedoria-Geral da Polícia Militar acompanha o caso junto à Polícia Civil do Estado, responsável pela investigação dos fatos”.

Reú por homicídio

Ele foi preso em 2018, mas foi solto por conta de um Habeas Corpus (HC) e agora responde o processo em liberdade. No dia 28 de junho do mesmo ano, ele disparou 12 tiros em um veículo, no bairro do Santarenzinho, na cidade de Santarém.

O crime resultou na morte da empregada doméstica Sônia da Silva Viana, de 40 anos e ferimentos no marido, nos dois filhos e mais um casal de amigos que estavam no interior do veículo.

Em agosto de 2020, uma decisão tomada pelo juiz titular da 3ª Vara Criminal, Gabriel Veloso de Araújo, definiu que o investigado deverá enfrentar júri popular pelo crime de homicídio qualificado.

Fonte: O Liberal

Parceiros
spot_imgspot_imgspot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_imgspot_img
Parceiros

Must Read

Preocupante: Marabá atinge 100% de ocupação de leitos de UTI

0
A nova onda de contaminação no município está lotando o Hospital Municipal da cidade ma nova onda da Covid-19 assola Marabá, no sudeste do estado....