Durante confronto PM mata suspeito de assassinar criança em Anajás; duas pessoas foram presas no Marajó

A informação foi confirmada pela governador Helder Barbalho, pelas redes sociais, neste domingo (12/06)

Duas pessoas suspeitas de envolvimento na morte da menina Amanda Ribeiro, encontrada morta de forma brutal no município Anajás, região do Marajó, foram presas neste domingo (12). A informação foi divulgada pelo governador Helder Barbalho, pelas redes sociais. Um dos suspeitos morreu em confronto com a polícia. As investigações seguem em andamento.

Os suspeitos ainda não tiveram as identidades confirmadas, mas foram identificados, a princípio, como Jobson da Silva Miranda (conhecido como “Loro”) e Josuel dos Santos Gomes (“Durão”). A outra pessoa, possivelmente, é adolescente. A Polícia Civil investiga possíveis elos das três pessoas com facções criminosas.

Com Josuel, que morreu em confronto com policiais militares, foram apreendidas quatro armas de fogo, sendo um revólver e três espingardas, além de munições intactas e outras deflagradas. Ele ainda foi socorrido, mas morreu durante o atendimento no hospital municipal.

Amanda Ribeiro tinha 10 anos desapareceu na terça-feira (7), após se perder. Ela vagou pelas ruas da cidade de Anajás até não ser mais vista. O corpo dela foi encontrado no sábado (11), amarrado debaixo de um trapiche e com sinais de mutilações. O corpo da criança foi submetido a perícias para elucidar outros pontos, como confirmação de que ela tenha sofrido violência sexual.

Os suspeitos serão interrogados para tentar elucidar o caso definitivamente, explicando se havia mais pessoas envolvidas no crime que chocou a pequena cidade da região do Marajó. Helder elogiou o trabalho dos policiais. Nesta segunda, familiares e amigos da família de Amanda previam uma manifestação contra a violência sofrida pela criança.

Por O Liberal

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui