Auxílio Brasil de R$ 600 começa a ser pago em agosto

São previstos R$ 41,25 bilhões para ampliar o programa social, que passa a ter acréscimo de R$ 200, além de expandir outros benefícios.

O plenário da Câmara dos Deputados aprovou, na noite desta quarta-feira (13), a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) dos Benefícios em dois turnos. Agora, a expectativa é que o texto seja promulgado na sexta-feira (15).

A proposta não sofreu alterações em relação à enviada pela Senado. São previstos R$ 41,25 bilhões para ampliar o Auxílio Brasil, que passa a ter valor mínimo de R$ 600 para cada família, e do Auxílio Gás, além da criação de subsídios a caminhoneiros e taxistas.

Do total de recursos aprovados, R$ 26 bilhões serão destinados ao Auxílio Brasil. Segundo o Ministério da Cidadania, o acréscimo R$ 200 às famílias contempladas pelo programa terá início em agosto, passando assim de R$ 400 para R$ 600.

O texto-base da PEC foi aprovado em segundo turno por 469 votos a favor, 17 contra e 2 abstenções. Eram necessários 308 votos favoráveis para a aprovação.

Além do acréscimo de R$ 200 do Auxílio Brasil, a PEC prevê a ampliação de outros tipos de subsídios à população. No caso do Auxílio Gás, será destinado R$ 1,05 bilhão para complementar o valor pago a cada dois meses aos cidadãos contemplados com o benefício.

Portanto, cada família passa a receber 100% do valor da média nacional do botijão de 13Kg de Gás Liquefeito de Petróleo (GLP), e não mais os 50% pagos desde o início do ano.

Já o programa Alimenta Brasil, que compra a produção da agricultura familiar e destina a entidades socioassistenciais, escolas e creches, entre outros equipamentos públicos, terá um acréscimo de R$ 500 milhões. São compras de até R$ 12 mil por ano de cada família produtora.

Em meio à alta dos combustíveis neste ano, os motoristas também serão incluídos na lista de benefícios. Os caminhoneiros cadastrados no Registro Nacional de Transportadores Rodoviários de Cargas (RNTRC) receberão R$ 1 mil mensais.

Os motoristas de táxi cadastrados até 31 de maio de 2022, mediante apresentação do documento de permissão, terão direito a R$ 200 mensais após regulamentação da forma de pagamento.

Por fim, será concedida assistência de R$ 2,5 bilhões até 31 de dezembro de 2022 para auxiliar o custeio do direito da gratuidade aos idosos no transporte público coletivo urbano, semiurbano e metropolitano prevista no Estatuto do Idoso. O montante será repassado à União, a estados, ao Distrito Federal e a municípios.

Por CNN Brasil.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui