Após incêndio em mineradora, moradores denunciam vazamento de caulim em rio de Barcarena

Reprodução

O vazamento foi descoberto logo cedo após o incêndio que atingiu a empresa.

Moradores da comunidade Vila do Conde, em Barcarena, nordeste do Pará, denunciaram um vazamento de caulim, minério usado na produção de papel, no rio Dendê, na manhã desta terça-feira, 7. Segundo a população, o vazamento foi descoberto logo cedo após o incêndio que atingiu a empresa Imerys na noite desta segunda-feira, 06, que beneficia o caulim da região.

De acordo com um morador, que vive a cerca de 100 metros do rio e prefere não se identificar, a água do córrego está branca e com um forte cheiro de enxofre. “Acredito que devido ao incêndio de ontem, toda a água utilizada para conter as chamas desceu pela rede de esgoto da empresa diretamente para o rio, pois a mesma não recebe nenhum tipo de tratamento. Todo a água é despejada diretamente no Rio dendê”, denuncia o morador.

A coloração branca do Rio Dendê foi registrada pela comunidade.

O Rio Dendê é um afluente do rio Pará e é utilizada pela comunidade para a pratica da pesca.

Trágedia na Mineradora

Na noite desta segunda-feira, 6De acordo com informações, as vítimas apresentavam sintomas leves a moderados, de desconforto respiratório. e que uma fumaça branca, estaria vazando sobre a localidade.

Segundo os relatos dos moradores nas redes sociais, no entorno da empresa, supostamente estaria armazenado o produto químico hidrossulfito de sódio, que consiste em um pó granular de coloração branco à branco acinzentado com odor característico de dióxido de enxofre. 

Cerca de 30 atendimentos foram realizados em uma Unidade de Pronto Atendimento, por conta do incêndio dentro de um dos depósitos da mineradora Imerys, durante a noite desta segunda-feira, 6, na Vila do Conde, município de Barcarena, no Pará.

De acordo com informações, as vítimas apresentavam sintomas leves a moderados, de desconforto respiratório.

Com informações de Roma News.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui