Agropalma desenvolve ações para a preservação da Floresta Amazônica e da Mata Atlântica

Companhia possui 64 mil hectares de reservas florestais no Pará e em Limeira (SP) a empresa já restaurou 2,5 hectares da Mata Atlântica

Setembro de 2022 – A Agropalma, maior produtora de óleo de palma sustentável das Américas, tem realizado há 40 anos ações de suma importância para a preservação das florestas e das espécies que habitam a Floresta Amazônia, a maior floresta tropical do mundo. A companhia também cuida das florestas que integram a Mata Atlântica, na cidade de Limeira (SP). Com estas ações, a Agropalma se preocupa em preservar a fauna e flora das regiões onde atua. A empresa possui 39 mil hectares de palmeiras próprias plantadas, na cidade de Tailândia, no Pará.

A floresta amazônica, um dos principais biomas do mundo, passou em 2021 o seu pior ano em uma década. De janeiro a dezembro, foram destruídos 10.362 km² de mata nativa, o que equivale a metade de Sergipe. Os dados são do Sistema de Alerta de Desmatamento (SAD) do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon), que monitora a região por meio de imagens de satélites.

Esse é um cenário que exige esforços não apenas de órgãos governamentais, mas também de empresas. Por isso, a companhia mantém o Programa de Proteção das Reservas Florestais, composto por um conjunto de ações destinadas à vigilância de fronteiras e fiscalização das áreas de reserva florestal que fazem parte das propriedades da Agropalma. O Programa tem como objetivo manter a integridade das áreas de reserva e colaborar para que o habitat de espécies da flora e da fauna seja conservado, para proporcionar condições adequadas de abrigo, alimentação e reprodução para as espécies silvestres, bem como a proteção do solo e a manutenção do ciclo hidrológico.

A empresa tem 107 mil hectares de terras em uma região da Amazônia, conhecida como Centro de Endemismo Belém (CEB), local em que a biodiversidade está muito ameaçada. Dos 107 mil hectares, 64 mil são reservas florestais e áreas de proteção permanente. 

Para proteger as fronteiras dessas reservas, a Agropalma criou um departamento específico e contratou colaboradores que passaram a cuidar delas diariamente, em pontos estratégicos. A equipe é composta por coordenador, supervisor, inspetores e vigias florestais profissionais. 

Para desempenharem suas funções, os colaboradores passaram por treinamentos e orientações sobre educação ambiental, segurança e uso de Equipamento de Proteção Individual (EPIs), operação de motores de popa e rabeta, entre outros. 

Para realizar as rondas a equipe da Agropalma conta com equipamentos como caminhonetes, motos, bicicletas, motores de popa, rabetas, canoas e barcos de alumínio. A companhia também possui casas localizadas em pontos estratégicos das fronteiras das reservas, onde residem parte dos vigias, para facilitar a realização das rondas.

Preservação das espécies ameaçadas de extinção

A Agropalma firmou parceria com a Conservação Internacional (CI) para preservação de espécies ameaçadas de extinção. Na região de atuação da Agropalma foram registradas 1029 espécies de animais, das quais 40 espécies estão ameaçadas de extinção e 11 são endêmicas do Centro de Endemismo Belém (CEB). “É muito gratificante para a nossa companhia poder contribuir com ações que possam garantir a preservação das florestas e das espécies que fazem parte delas”, afirma Tulio Dias, diretor de sustentabilidade da Agropalma.

Preservação da Mata Atlântica 

A Mata Atlântica, outro bioma importante do Brasil, também tem sofrido com o desmatamento das florestas. Segundo dados da ONG SOS Mata Atlântica e do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), no período de 2020-2021, foram derrubadas 21.642 hectares do bioma, mantendo cerca de 12% de sua cobertura original. A Agropalma já restaurou 2,5 hectares de Mata Atlântica, na região de Limeira, em São Paulo, onde possui uma de suas unidades. 

Sobre a Agropalma

A Agropalma é a maior produtora de óleo de palma sustentável das Américas. Sua atuação perfaz toda a cadeia produtiva, da produção de mudas ao óleo refinado e gorduras especiais às soluções de alto valor agregado, incluindo produtos orgânicos. Sua trajetória começou em 1982, no município de Tailândia, no Pará. Hoje a empresa conta com seis indústrias de extração de óleo bruto, um terminal de exportação alfandegado, duas refinarias e emprega cerca de 5 mil colaboradores. A Agropalma tem como propósito tornar a palma sustentável uma referência brasileira. Para mais informações, acesse: http://www.agropalma.com.br.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui