‘Fumar é coisa de mané’, diz Marcola do PCC para filho em conversa na prisão

Marco Willians Herbas Camacho, o Marcola, recomendou ao filho que não fumasse nem se envolvesse com drogas no começo do ano. A informação foi divulgada pelo programa Domingo Espetacular, da TV Record, neste domingo (14).

“Fumar é coisa de mané”, diz Marcola em um vídeo de uma conversa com seu filho de 13 anos exibido pelo programa e gravado em 12 de janeiro no parlatório da Penitenciária Federal em Porto Velho (RO), onde o líder do PCC (Primeiro Comando da Capital) está preso.

Em outro momento do mesmo diálogo, Marcola diz que não quer que o filho se torne bandido.

“Esse negócio de ficar dando tiro de soft nos outros é coisa de bandido”, diz ele. “O maior trauma meu é que você siga meus passos”, acrescenta.

“Você estuda num colégio bom, mora num lugar maravilhoso. Tem roupa bacana, família da hora. Então, qual é a revolta? É por que o pai está aqui?”, pergunta o líder do PCC ao filho na conversa.

Em outro diálogo gravado no parlatório no mesmo dia, Marcola tranquiliza sua esposa, Cynthia Gigliolli Herbas Camacho, em relação à possibilidade de ser executado por outros membros de seu bando.

“Estou preocupada com a sua vida. Meu medo é eles matarem você”, ela diz. “Esses caras são tudo meu filho”, ele responde.

De acordo com a reportagem, as conversas de Marcola com a família vinham sendo monitoradas há 1 ano e meio e o PCC conta hoje com 30 mil membros espalhados pelo país.

Na última quarta (10), a PF (Polícia Federal) fez uma operação contra a facção, que resultou na apreensão de um caderno com informações sobre integrantes da cúpula do PCC. Nele, cada um dos líderes era identificado pelo nome de um país.

Operação terminou com duas advogadas presas

Batizada de Anjos da Guarda, a operação da PF mobilizou 80 policiais para o cumprir 11 mandados de prisão preventiva e 13 mandados de busca e apreensão em Brasília, Campo Grande (MS), Três Lagoas (MS), São Paulo, Santos (SP) e Presidente Prudente (SP).

O objetivo da ação era desarticular um plano de resgate de criminosos das penitenciárias federais de Brasília (DF) e Porto Velho (RO). Além da liberação de líderes do PCC hoje detidos, o plano envolvia o sequestro de autoridades para conseguir a soltura dos detentos, de acordo com a Polícia Federal.

As advogadas Juliana de Araújo Alonso Mirandola e Simone Alonso foram presas em Presidente Prudente (SP). Simone é esposa de Cláudio Barbará, um dos líderes do PCC preso em Brasília.

Elas são acusadas de integrar a “sintonia dos gravatas”, o braço jurídico do PCC, responsável por levar e trazer recados para os líderes da organização.

A casa de Cynthia e sua irmã, Camila Gigiolli da Silva, em Alphaville, na Grande São Paulo, foi alvo de um dos mandados. Fontes ouvidas pelo UOL informaram que a família está viajando, em férias.

Por UOL

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui