Carros funerários seguem fazendo fila à porta do IML de Belém

Apesar do governo dizer que dobrou capacidade de verificação de óbito, sistema funerário retratam colapso no Pará.


Mais de dez carros funerários faziam fila, na manhã desta segunda (04), em frente ao Centro de Perícias Renato Chaves (CPC).

O relato é de quem trabalha com a remoção de corpos na região metropolitana de Belém e enfrenta o colapso do sistema funerário em meio a pandemia. Com o espaço cheio, os cadáveres são amontoados no chão,  são corpos de pessoas que morreram por causas de covid-19 e por causas naturais.

A sobrecarga do sistema funerário deriva do esgotamento da capacidade de atendimento do sistema de saúde. Segundo a Sespa, a pandemia mudou a rotina do serviço de verificação de óbitos, que teve também reforço de duas viaturas novas para a remoção de corpos na região metropolitana de Belém.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui